Topo
Mulher com deficiência visual andando e segurando um celular na mão esquerda. No centro da foto logotipo do Navgate
Publicado na categoria Notícias

Tecnologia de audionavegação promete dar autonomia para cegos no transporte público

Um sistema de audionavegação desenvolvido em São Paulo pode dar mais autonomia para pessoas com deficiência visual, em especial nos transportes públicos.

De acordo com um dos desenvolvedores, Jaldomir da Silva Filho, mestre em design, especializado em audionavegação, a tecnologia é inédita no mundo, sendo que o maior diferencial é o uso de frequência de infravermelho em vez de ondas de rádio.

Esta característica, segundo o especialista, elimina os riscos de interferências de outros sinais em determinado ambiente e possibilita um direcionamento preciso da pessoa ao seu ponto de interesse.

Esta nossa tecnologia é patenteada de infravermelho, que faz com que ele seja um diferencial de segurança, de não interferir em outras ondas de rádio que estejam dentro de estações, por exemplo, de Metrô. E ele gera a segurança necessária para que a pessoa seja direcionada diretamente para o ponto onde ela deve receber a informação

A luz do infravermelho é imperceptível no ambiente, não causando desconforto para as demais pessoas.

Chamado pelos criadores de Navgate, o sistema já foi testado em estações do Metrô de São Paulo, inclusive com a participação de pessoas cegas que contribuíram com sugestões para o aperfeiçoamento da comunicação da tecnologia.

O Navgate nasceu de uma pesquisa feita a partir de 2007 e encerrada em 2013. A partir daí, foi começando a ser feito um sistema físico que a gente pudesse instalar nos ambientes, com base nessa pesquisa inicial que foi feita no início da década passada. Esses testes começaram inicialmente fora do Metrô de São Paulo, porque não é um projeto do Metrô. No entanto, nossa proximidade com o Metrô fez com que a gente pudesse iniciar uma pesquisa interna para verificar as características inerentes à Companhia do Metropolitano de São Paulo

Uma das sugestões foi mudar a comunicação do sistema com o usuário. Jaldomir explica que inicialmente, eram passadas as informações sobre o direcionamento igual a um sistema de navegação, como do Waze. Mas as pessoas com deficiência visual preferiram que em vez de informar apenas sobre a direção a seguir, o sistema descrevesse o ambiente e o destino.

Fontes: Mova-se (vídeo) e Diário do Transporte

 

Tags

Sobre o autor: Ricardo De Melo

Professor de informática acessível e tecnologias assistivas para pessoas com deficiência visual e Desenvolvedor Web

3 COMENTÁRIOS
  • Wellington de Castro
    4 meses atrás

    Olá! Gostei da notícia Ricardo, a tecnologia parece ser bacana, nos auxiliará complementando os recursos que já utilizamos. E até mais.

    • Ricardo De Melo
      4 meses atrás
      AUTOR

      Olá Wellington, muito obrigado pelo comentário!
      Com certeza, tudo que puder auxiliar a pessoa com deficiência visual em sua orientação e mobilidade, será bem vinda. Vamos esperar ser lançado para testarmos.

  • Leandro Pereira
    4 meses atrás

    Legal Ricardo, criar sistemas e se preocupar com a segurança dos dados é tudo

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *