Topo
Mulher e jovem estão em frente ao computador. Ela, Paula Pedroza, criadora da Audima, veste roupa preta e sorri levemente. Ele, Lucas Tito, analista de negócios, é cego, veste camisa preta e está sorrindo, com fones nos ouvidos
Publicado na categoria Notícias

Audima e a evolução da acessibilidade na internet

No vídeo acima você vai conhecer o Audima, uma ferramenta criada por brasileira que converte texto em áudio com locução natural e permite navegação na internet mais agradável ao diferenciar palavras de imagens.

A empresa nasceu nos EUA, impulsionada no Vale do Silício (Califórnia) e chega ao Brasil mirando o mercado de geração de conteúdo para ampliar a inclusão digital.

Se você quiser mais informações, sugiro ler a matéria completa publicada no site do Estadão, ou ainda se preferir visite o site oficial do projeto.

Ainda assim, a melhor maneira de avaliar o projeto é navegar em um site com o recurso instalado. Fazendo uma busca na internet, encontrei o blog MeuTédio com o Audima ativado. Dá uma olha lá e tire suas conclusões.

 

Tags

7 COMENTÁRIOS
  • Leandro Pereira
    1 semana atrás

    Gostaria de saber como é feita a descrição em textos contendo emojis?

    • Ricardo De Melo
      1 semana atrás
      AUTOR

      Leandro, eu sugeri entrar no site Meu Tédio, onde o Audima está ativado. Vê lá e me fala o que achou, ok?

  • Wellington de Castro
    1 semana atrás

    Bom dia à todos os leitores!

    Interessante a tecnologia, para aqueles deficientes visuais com baixa visão e outras pessoas que tenha dificuldade de leitura ou manusear um software de voz, essa tecnologia é excelente. Mas na minha opinião, para aqueles que utiliza software de voz e o domina, essa ferramenta não agrega muita coisa, sim, mesmo para esse público, continua sendo uma ferramenta interessante; no entanto, os leitores de voz já supre essa necessidade, pois possibilita a leitura tranquilamente, claro, se a pessoa dominar o leitor de tela. Os leitores de tela como NVDA e outros, estão investindo na inteligência artificial e buscando a cada dia melhorar a qualidade de seus sintetizadores.

    Mas ressalto, que para deficientes visuais com baixa visão, esse recurso é extremamente interessante, pois pessoas com baixa visão pode apresentar cansaço visual no momento da leitura, eu vivenciei muitas vezes esse cansaço visual.

    Outro aspecto que eu ressalto é que os site da web não disponibiliza a audiodescrição convencional, que teoricamente não lhes custas recursos financeiros, será que vão querer pagar para disponibilizar essa ferramenta em seus websites?

    Agradeço pela atenção e até mais.

  • Victor Inacio
    1 semana atrás

    Agora temos que ver se os desenvolvedores e as empresas vão querer inserir em seus sites, blogs entre outros.,
    como o nosso amigo Wellington escreveu é uma ótima ferramenta para pessoas com baixa visão e pessoas com pouca desenvoltura nos leitores de tela.
    Ainda não entendi muito bem essa ferramenta por isso é apenas um achismo sem testes algum na ferramenta, vou testar agora.
    Obrigado Ricardo pela notícia.
    Abraços.

  • Irene Poeta
    1 semana atrás

    Oi, pessoal. Acabei de ler aateria, entrei no blog e ouvi mais de uma vez, apenas isso.
    Ela não descreveu a imagem, apenas declarou que existia uma foto.
    Fiz pelo celular, pessoalmente considero todas as iniciativas que nos favoreçam, merecedoras de incentivos, principalmente sendo de uma brasileira, mas acho que quem entendeu melhor é consegue testar a ferramenta, tem obrigação de fazer uma análise que garanta melhor o seu uso para todos, afinal, a propaganda é linda, não é mesmo?
    Abraço a todos

    • Wellington de Castro
      7 dias atrás

      Boa noite Irene e demais leitores!

      Irene, na reportagem completa do estadão, a ferramenta descreve a imagem, pois imagino que o jornal acrescentou a descrição; creio que se o mantenedor do site não acrescentar descrição nas imagens, a ferramenta não descreverá as mesmas com eficácia, somente apontará a presença de imagem.

  • Victor Inacio
    1 semana atrás

    Queremos acessibilidade em todos os sites, não só o deficiente visual mas sim todas as pessoas usuárias.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *